quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Noite insana

Por quem suspiras,
Virgem dos lábios de mel?
Tão forte respiras,
Mais alto que a lua no céu!

Se, febril, o teu peito arqueja,
Por amor o meu se desvanece...
Se os meus lábios tua boca beija
Meu olhar de moribundo se aquece.

Oh! Ainda há uma esperança
Nos sonhos deste amor:
Fazer valer uma lembrança
Da mocidade, ainda pura, do pecador!

Que na fronte de minha amada
Eu possa sorver-lhe a última gota de lágrima!
E suspirar, gemendo e chorando,
Na ventura das lágrimas trocadas!

Como o céu é lindo!
E a lua parece nos guiar
- sorrindo!
Com seu pálido brilho a nos acalentar.

48 comentários:

  1. Um poeta que tem o poder de amar, que vê através da alma, que injeta todas as gotas do Romantismo na veia. Seu olhar está se tornando tão penetrante, assim como suas palavras. Elas entram pelos poros da pele e não saem mais de mim. Atingem meu coração.
    Vejo sua evolução em cada texto. Além disso, vejo uma evolução dentro do próprio poema, de cada um. Suas palavras não se misturam. Elas se casam.
    Cada coisa tão linda!
    Já estou cansada de te comparar a poetas ultra-românticos (o que você diz ser heresia), mas é isso que eu vejo, mas a idealização deles não te deixa visualizar.
    Você é perfeito! É um poeta lapidado.
    Amo você, amo suas poesias.

    Beijos, meu querido.

    ResponderExcluir
  2. "Se os meus lábios tua boca beija
    Meu olhar de moribundo se aquece."

    Tuas palavras aquecem meu coração.
    Perco-me fácil nelas.

    É em teus versos que vislumbro o amor. Só por eles que eu posso acreditar.

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Me inspiro com seus poemas! Você está amando, Felipe? Você tem a sua musa?
    Acho seu estilo impecável!
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Nossa que poema maravilhoso...
    aodrei e adoro poemas assim
    compaixao garra e atitude parabens.Bjuss

    ResponderExcluir
  5. Poeta, poeta... Cativa meus olhos.

    ResponderExcluir
  6. Que palavras,
    de tão belas encheram até meus olhos de láágrimas. uhauhauhauh (:
    Lindíssimo...
    Realmente tu és um poeta! *.*

    BJinhuss

    ResponderExcluir
  7. Que palavras,
    de tão belas encheram até meus olhos de láágrimas. uhauhauhauh (:
    Lindíssimo...
    Realmente tu és um poeta! *.*

    BJinhuss

    ResponderExcluir
  8. E os seus poemas encantam qualquer um.

    A sua amada é uma garota de sorte

    :D

    ResponderExcluir
  9. Não entendi, me explique o "mas apenas busca?"

    ResponderExcluir
  10. Faça valer todas as lembranças para que um dia, chegue lá frente e diga que aproveitou tudo o que você poderia. Belo texto.

    Estou adorando o Rio, como dizem, "cidade maravilhosa". Não conheço muita coisa ainda, só conheço a Barra que é onde eu moro. Amanhã mesmo eu vou dar uma volta em Copacabana pra conhecer mais um pouco e ao longo da minha estadia aqui, conhecerei mais.
    Precisava voltar pra cá, ter alguém com quem conversar antes da minha rotina começar, rs.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. É tão bom viver tuas palavras!
    A cada batida que o coração dá escorrego pelas linhas de teu encatamento e então me sinto livre: amo o momento e nele sou eterna. Só assim vivo. Só aqui...

    Fê, te adoro de paixão. rs
    É sempre a mesma coisa, mas é a pura verdade: sem este espaço eu não saberia viver. Aqui é meu leito de descanço, onde a beleza de tuas palavras me acolhe!

    Mil beijos!

    p.s.:
    "Que na fronte de minha amada
    Eu possa sorver-lhe a última gota de lágrima!
    E suspirar, gemendo e chorando,
    Na ventura das lágrimas trocadas!"

    ResponderExcluir
  12. Você foi bem claro.

    E achei lindo essa forma de pensar, nunca tinha imaginado assim e concordo plenamente.
    Vou levar esse jeito de pensar pra sempre comigo.

    Me lembrou uma das frases que eu tenho dentro de mim.

    A felicidade está no caminho e não na linha de chegada.

    Obrigada por ter explicado.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  13. Dificilmente parabenizo alguém pelos blogs de poesia, mas para vc eu digo: Bravo!
    Sucesso!
    esmaques pra ti, vou te linkar e tô seguindo...

    ResponderExcluir
  14. "Oh! Ainda há uma esperança
    Nos sonhos deste amor:
    Fazer valer uma lembrança
    Da mocidade, ainda pura, do pecador!"

    ameeeeeeeeei seus escritos!! ameeeei seu blog!!!

    ja pensou em publica-lo em um livro??? mereeeeeeeece!!!

    bjo

    ResponderExcluir
  15. "Oh! Ainda há uma esperança
    Nos sonhos deste amor:
    Fazer valer uma lembrança
    Da mocidade, ainda pura, do pecador!"

    ameeeeeeeeei seus escritos!! ameeeei seu blog!!!

    ja pensou em publica-lo em um livro??? mereeeeeeeece!!!

    bjo

    ResponderExcluir
  16. tens um dom..o de escrever coisas bonitas...

    ResponderExcluir
  17. Me pergunto que sera essa mulher, que recebe essas palavras e essa devoção.
    Nao posso deixar de inveja-la.
    Parabens pelo poema

    ResponderExcluir
  18. Uma poesia sincera.
    Isso já desperta uma atenção.
    Independente de estar amando ou não, vê-se como sente o amor.
    No frigir dos ovos, sua poesia me remete a um amor, a um sentimento.
    Isso basta para gostar da sua.
    Abrçs.

    ResponderExcluir
  19. Seus poemas me dão vontade de declamar em voz alta... vontade de que declamem pra mim.

    ResponderExcluir
  20. Precisava da minha simplicidade de volta. Coisas estapafúrdias cansam, rs.

    AH, você vai ao Maracanã hoje. Daria tudo pro meu pai me levar, mas como ele não é Flamenguista, vai demorar um pouco até eu arranjar companhia, rs.
    A gente se vê, beijos.

    ResponderExcluir
  21. Felipe, amei o texto do seu perfil e, ao entrar em seu blog, percebo uma escrita antiga, como há muito não vejo novos escritores ousando. Sinto-me honrada com sua visita em meu blog. Sim, andei ocupada com mil coisas e deixei o blog de lado. Mas nunca esquecido. Estou de volta. Beijos.

    ResponderExcluir
  22. Voltei a passar pelo teu cantinho. Gosto mt dos teus versos. Continua.
    Beijinhos
    Vicky

    ResponderExcluir
  23. Em uma só palavra: apaixonante.
    beijos

    ResponderExcluir
  24. Isso pra mim foi totalmente um universo Alencariano. Lembrei de Iracema logo nos primeiros versos.

    Amor exagerado. Absurdo. Eu acho a coisa mais linda, essa ideia extrema.

    Um suspiro pra você, Felipe.

    ResponderExcluir
  25. Não se sinta um lixo, rs. Não era pro geral, era pro individual. Ele devia ler esse tipo de coisa.
    Eu cultivo as boas amizades, o problema é que as ruins insistem em voltar quando não tem nada para elas saberem. --'
    Vou falar com o meu pai, quem sabe ele não me leve? rs.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  26. Que lindo seu poema!!!

    Impecável....


    Parabéns !!!

    abraço

    ResponderExcluir
  27. Feeeeeee!

    sumi e voltei :D

    e q bom q vc continuar postando belas poesias *__*

    ResponderExcluir
  28. bem...que lindo poema...vejo que tens imenso jeito para escrever...muito parabéns :) beijinhos

    ResponderExcluir
  29. Poema muito bonito, é da tua autoria?

    Obrigada pela visita!
    beijos

    ResponderExcluir
  30. Eu fco sem folego com tamanha itensidade de seus poemas.
    Tão cheios de masculinidade e romantismo, são perfeitos!

    ResponderExcluir
  31. Ah, fico grata pelo elogio. Confesso que fiquei receosa por não gostar. Não que eu faça meus textos pra você, mas a sua combinação de palavras me deixa um pouco tímida para escrever, rs.
    Que bom que gostou. Admiradores de suspiros, rs.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  32. Só de saber que você é um novo apreciador dos meus textos, vale a pena qualquer coisa para continuar a escrever! Você é o meu incentivo, rs.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  33. nos textos só encotro perfeição e leveza de palavras, sentimentos sem complicação, romantismo puro e exarcebado. Conquistas qualquer uma com teus lindos versos.

    ResponderExcluir
  34. descobri-te atraves do blog FLAMES...e estou encantada!ainda so dei uma vista d olhos mas dou-te ja os parabens!prometo voltar!:)

    ResponderExcluir
  35. Foi bom ter passado aqui logo agora depois de acordar e ler tao belas palavras !

    ResponderExcluir
  36. Ola Felipe!obrigada pela tua visita e pelo comentario...nem sempre é facil estar numa associaçao, todos os dias temos historias novas e tristes. Por isso, sabem bem as palavras de apoio! e mesmo que estejamos longe, podes sempre informar-te e ajudar alguma associaçao perto da tua localidade.
    beijinhos

    ResponderExcluir
  37. Lindo, lindo, lindo. Totalmente encantador.

    ResponderExcluir
  38. Sabe aquele poema que soa música? Então, te cabe perfeitamente bem. Isso, de poetizar.

    No ínfimo, invejo. Eu não sei falar em rimas.

    O amor, rimado, é muito mais bonito. Calou a lua.

    Beijo

    ResponderExcluir
  39. Senti falta de te ler, Felipe!
    Como que pode, o céu, a Lua e lágrimas doces, sorrisos amargos, sempre fazendo testemunhando o amor. Sempre.
    Que em nosso céu da boca sempre risquem as estrelas cadentes, que por pirraça caem nas poças formadas pelas lágrimas nossas, arrancando sempre risos, amargos e sinceros.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  40. Quando você escreve, Felipe, o sentimento ressalta em cada palavra, escolhida a dedo, com grande minuciosidade.

    Uma musa te inspira, um sentimento intenso te guia, uma vontade grita...

    E mais uma vez, nós, seus seguidores, te ovacionamos e vivemos cada poema sua...

    Beijos...

    ResponderExcluir
  41. Não encontrei adjetivo para descrever o seu poema a não ser: lindo!
    Gostei do novo nome :D
    beijos

    ResponderExcluir
  42. Ahh se todos os humanos tivessem 1/3 da sua sensibilidade..o mundo seria mais romântico..seria um mundo melhor.
    Parabéns!
    bjos e namastê

    ResponderExcluir
  43. "Treme a terra
    Choram os filhos
    O homem procura
    Doce ilusão..."

    Franzé Oliveira

    A MÚSICA DAS ALMAS
    (Vinicius de Moraes)

    Na manhã infinita as nuvens surgiram como a loucura numa alma
    E o vento como o instinto desceu os braços das árvores que estrangularam a terra...
    Depois veio a claridade, o grande céu, a paz dos campos...
    Mas nos caminhos todos choravam com os rostos levados para o alto
    Porque a vida tinha misteriosamente passado na tormenta.

    ResponderExcluir
  44. Cada vez que resolvo fazer uma viagem pelo mundo do blog, no conhecer novos perfis, saio impactada, pelo fato de esbarrar com outros seres que articulam de forma brilhante o universo literário. Seus dedos e menatl são repletamente um 'ímpeto'; este seu enredo fascina o leitor, operando de forma incalculável a arte da reflexão. Parabéns e continue a vomitar, no melhor sentido da palavra, alfabético que sacuda estruturas.

    Abraços e paz!

    Priscila Cáliga

    ResponderExcluir