quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Intrínsecos

Quando aos olhos de uma vida sofrida
Um momento é necessário,
Evoca-se a Morte, para que um infortúnio
Não o apague do imaginário...

Vinha com o corpo macilento,
Jorrava seus desalentos
E apoderava-se do meu leito ermo
Sem ouvir o meu grito calado!
Cabelos ao vento,
Sentimentos alados,
Meu peito sedento
Por teu seio suado!

Ó, estrela da juventude!
Colecionas virtudes,
Que tua mente ubíqua
Com a lua oblíqua
Desvendam em meu âmago
Todos os segredos!...

Não tenhas medo,
Não te esqueças de mim!
Eu sei que é cedo,
Mas é nosso fim.
Vá! Casa-te com minha alma!
Agora que a eternidade
Apresenta-se diante de nós...
Fiquemos a sós!

Que o derradeiro suspiro de um homem honrado
Seja causado por amor!
E que a esperança possa sorrir
Ao contemplar teu alvor!
Que esta alma possa usufruir
Os benefícios que a tua, ó bela,
Há de me conceder,
Quando nossa morte, enfim, alvorecer.

24 comentários:

  1. Ah, poeta!
    Você quer me fazer chorar...
    Tão lindo! Me parece que sua inclinação ultra-romântica cresce a cada dia.
    Simplesmente mágico, cada verso. A forma como você descreve, narra... o vocabulário, tudo perfeito, tudo!
    Adjetivos, exclamações, exatamente como no Romantismo.
    Lembrei mais uma vez dos poetas antigos que você tanto admira, como Álvares de Azevedo, Byron... Em especial, lembrei de um poema do Casimiro de Abreu, chamado A Valsa.

    "Ó, estrela da juventude!
    Colecionas virtudes,
    Que tua mente ubíqua
    Com a lua oblíqua
    Desvendam em meu âmago
    Todos os segredos!...
    Não tenhas medo,
    Não te esqueças de mim!
    Eu sei que é cedo,
    Mas é nosso fim."

    Quanta intensidade! Quanta carga poética, meu bem!
    Amei demais!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Ah, você mudou o nome do blog...
    Que lindo!
    Esse agora combina muito mais com você. rs

    ResponderExcluir
  3. Gostei do poema :)


    me lembra o romantismo na segunda fase


    :**




    http://absolutamenteeu-nadja.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Cara, fazer poemas é dom de poucos. Os teus são perfeitos.
    Eu os leio varias vezes, porque parece que me preenche, sabe...

    Parabéns.
    Beijos, e boa Sexta

    ResponderExcluir
  5. Primeiro vi uma despedida, ao final percebi um encontro.... adoro as tuas palavras! Parabéns!!
    Beijo!

    P.S. Feliz Ano Novo! A partir de 01/01 e 14/02!

    ResponderExcluir
  6. Que o derradeiro suspiro de um homem honrado
    Seja causado por amor!

    Ah, Felipe, sabe o que me deixaria mais contente do que isto? Que o fruto que vier do meu ventre nasça do e entre amor, e que antes do ar invadir os pulmões possa o amor tomar conta.

    ResponderExcluir
  7. 1º Você mudou o nome do blog! Ficou muito bom.
    2º e mais importante: UAU! Estou sem palavras. Pertences ao romantismo; Eu já devo ter dito isto inúmeras vezes, não é?

    "Vá! Casa-te com minh’alma!
    Agora que a eternidade
    Apresenta-se diante de nós...
    Fiquemos a sós!"

    Tuas palavras falam por mim.
    Meu coração reverencia os teus versos.

    ResponderExcluir
  8. mudou o nome do blog? ate me assustei, mudanças assustam OEIKAOE
    lindo poema, como todos os outros, tua musa inspiradora deve se sentir contente ao ler.

    ResponderExcluir
  9. Me agrada o novo título do blog. =)
    Aliás, o que você faz que não me agrada? Talvez, essa tua mania de ter sempre muitas mulheres te elogiando me irrite um pouco, mas é bem pouquinho. rs

    Se todos que te leem soubessem que até nas conversas diárias você é também assim, extremamente romantico, não tardaria a chover cartas de amor destinadas à você.
    Reconhecemos um poeta não por uma poesia escrita, mas por seu comportamento no dia-a-dia. E você, meu lindo, é poesia até o último fio de cabelo.

    Te gosto muitíssimo.. (mas, só gosto prq sei que será famoso um dia, tenho certeza.. hahaha.. E irá ceder um lugarzinho pra mim em algumas das tuas colunas em revistas ou jornais)

    Beijos, coração!!

    ResponderExcluir
  10. Felipe,

    O teu texto tocou-me de uma forma tão profunda que não tens ideia. Porque tu escreveste o que sinto martelar cá dentro, todo esse sentimento e vontade tremenda de deixar na memória sempre viva tudo o que vivi e senti.

    "Que o derradeiro suspiro de um homem honrado
    Seja causado por amor!"


    E como tu disses, eu também adoro suspiros. Sejam eles doces, sejam eles intensos.

    Amo tua escrita e vou continuar no teu pé para que continue a escrever com mais frequência.

    Bjo.

    ResponderExcluir
  11. Virgem Santa! Só tem mulher aqui!
    Sem dúvida, isso é bom.
    Sem ver seu rosto, li sua poesia; e às outras postadas por vc.
    viva tem razão: pertences ao romantismo (Casimiro de Abreu?).
    Escritores e poetas dessa corrente costumavam fenecer de amor...,não nescessáriamente por causa dele (neste caso 'do' amor).
    De qualquer forma, vc vai fundo em seus sentimentos; em todas suas poesias. Ela é rica, talvez por isso a sinta verdadeira.
    Quando fui olhar sua foto, caramba!: é o Felipe! Já nos tínhamos visto, não é. Pensei que o que o autor desses versos tivesse uns... 40. É, anos.
    Falar de gosto quando minha alma pende para outras falas mais... 'leves'..., seria indelicadeza que não cometerei.
    Deixo apenas minha impressão de que: creio que você explora conciente e meticulosamente, uma parte, talvez melancólica (mas forte), de sua alma.
    Não teria, talvez, o amor, sabores e olores mais.. etéreos, que pudessem ser cantados por um coração como o seu? Teria ele (seu canto), ser tão sem saída, tão sem termo? Não haveria nele horizontes amplos, brisas que balançam folhas, risos e sorrisos? É disso que sinto falta, a huma eternidade.
    Abração Felipe. Virei mais vezes, agora que Dica mostrou-me o caminho.

    ResponderExcluir
  12. Lindo, como tudo o que parte das ssuas palavras.
    Mas fiquei curiosa, porque a mudança no nome?

    ResponderExcluir
  13. e que bem se começa 2010 a ler coisas fantásticas como este poema...

    ***

    Emma

    ResponderExcluir
  14. Poeta (2)
    Lindo, Lindo, Lindo Felipe...
    Adoreiii....
    Que nesse ano novo vc tenha ainda mais inspirações e componha ainda mais textos, como esse... que por sinal, taa... taa... mt maravilhoso... adorei.. Lindo!

    Bjinhuss

    ResponderExcluir
  15. "Idealizemos, pois, o homem e seus sentimentos; idealizemos as mulheres; se for para mostrar o ser em seu estado mais real, tira-se uma fotografia e coloquem-na no lugar da Literatura."

    Um manifesto romântico? Cara, você me surpreende.

    ResponderExcluir
  16. Fui sugada pelas palavra do seu perfil,rs
    Parabéns!!

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. Sentimentos alados são esses, Felipe. Esses que te permitem poetar solto, liberto, azul.

    Esse teu poema, me lembrou bastante Casimiro de Abreu. Lindo.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  19. Nada mais natural que teu poema causar esse suspiro cá dentro no meu peito.

    ResponderExcluir
  20. Seu poema me calou!
    Você disse tudo, e pra mim restou apenas os aplausos e os suspiros.

    ResponderExcluir
  21. Moço , voltei a postar !

    Quando quiser , passa lá (:

    Um beijo .

    ResponderExcluir
  22. ah que isso !
    mas mesmo assim , brigado pela força ta ?

    :D

    ResponderExcluir
  23. Fê,
    "Há certas coisas que não haveria mesmo ocasião de as colocarmos sensatamente numa conversa - e que só num poema estão no seu lugar."

    Nessas conversas desvendamos os meus e os teus segredos sem deixar que eles percam o sabor da surpresa. É um novo sabor a cada volta. É um diferente sabor a cada pessoa.

    "Todo poema é uma aproximação."

    beijos de admiração.
    Fê.

    ResponderExcluir
  24. P.s.: Gosto do novo título do blog!
    hehe

    ResponderExcluir